Prejuvenation, a prevenção ao envelhecimento

Prejuvenation é o nome dado à prática dos pacientes mais jovens buscarem a prevenção do envelhecimento. Saiba como isso pode ser feito.

Prejuvenation visa mais embelezamento do que correções

O assunto de hoje é o prejuvenation e a importância de o paciente jovem começar a tratar a pele justamente para prevenir o processo de envelhecimento. 

 

Prejuvenation é um termo que surgiu recentemente nos Estados Unidos para caracterizar esse comportamento cada vez mais comum entre os jovens de começar a tratar e prevenir o processo de envelhecimento cada vez mais cedo. 

 

Todo esse comportamento ele foi muito multiplicado e desencadeado pelas redes sociais, principalmente pela necessidade de postar fotos e selfies o tempo todo.  

 

Essa a exigência em relação à pele, à beleza e à perfeição ficou cada vez maior. 



Quando iniciar os cuidados? 

 

O ideal seria mesmo começar o processo de prevenção cada vez mais cedo, a rotina de skincare deveria ser implementada mesmo a partir dos 20, 22 anos. 

 

O uso de filtro solar, de um sabonete específico para a pele e de um antioxidante muitas vezes já é o suficiente para fazer essa função. 

 

Além disso existem pacientes jovens que pela genética, pela estrutura da face, a gente pode deixá-lo mais bonito. 



Alterações relacionadas à genética e estrutura da face

 

Por exemplo, muitas vezes o paciente jovem tem olheiras, a região do terço médio do rosto não tem estrutura e a gente pode dar essa estrutura para o paciente e fazer com que o processo de envelhecimento dele também seja muito melhor. 

 

Uma outra alteração que a gente consegue melhorar é quando o paciente tem o masseter, que é um músculo da face, muito hipertrofiado. 

 

Muitas vezes ele tem bruxismo, ele faz um apertamento da arcada dentária o dia todo ou de mascar chiclete, Então ele acaba ficando com o rosto muito quadrado. 

 

Na mulher, principalmente, isso não é favorável porque deixa o rosto mais masculino. 

 

Nesse caso a gente pode lançar mão da aplicação da toxina botulínica para afinar o rosto e para diminuir esse volume na área da mandíbula e deixar a paciente mais feminina. 

 

Uma outra alteração que a gente também consegue melhorar é quando o paciente é retrognata, ou seja, ele não tem muita projeção do queixo e isso impacta muito o processo de envelhecimento. 

 

Se o paciente não tiver indicação ou não quiser se submeter a uma cirurgia ortognática, a gente pode lançar mão de técnicas como preenchimento para equilibrar mais o rosto e definir mais o contorno facial. 

 

Quando o paciente tem o queixo muito projetado a gente pode equilibrar todas as estruturas do rosto para que o queixo não chame tanto a atenção quando a gente olha para o paciente. 

 

Todas essas alterações e até assimetrias podem impactar bastante a autoimagem e o embelezamento da face e todas essas alterações não ocorrem com o processo de envelhecimento. 

 

Essas são alterações que o paciente jovem já tem e que a gente pode lançar mão de pequenas mudanças, bem sutis, para deixá-lo mais bonito. 



Por que tanta preocupação desse público? 

 

É fundamental ao atender esse paciente mais jovem o médico que for realizar o procedimento entender as reais motivações que estão fazendo esse paciente procurar um tratamento. 

 

Hoje em dia existe um ideal, uma obsessão pela beleza e pela perfeição que são inatingíveis e muitas vezes é a insegurança que faz esses pacientes mais jovens procurarem obsessivamente os tratamentos estéticos. 

 

Então para que o resultado seja natural, para que a gente não estimule um comportamento de insegurança, de obsessão, de busca pela perfeição cada vez mais inatingível, o ideal é a gente conversar bastante com o paciente e mostrar exatamente que resultado e que tratamento, se realmente indicado, vai favorecê-lo e deixá-lo mais bonito.

Compartilhar:

Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Fechar Menu