Melasma: cuidados e tratamentos

O melasma é uma doença de pele que não tem cura, mas tem tratamento.

Melasma: proteção solar é fundamental

Você tem melasma? E você sabe exatamente como escolher o filtro ideal para aplicar todo dia no seu rosto? 

 

Hoje eu vou dar várias dicas para você que tem melasma, uma doença que não tem cura e impacta muito autoestima das pessoas que tem esse problema. 

 

Melasma é uma desordem de pigmentação, uma mancha, geralmente bilateral. 



Causas do melasma

 

O que há de comum a todos os pacientes têm melasma são três fatores: genética, histórico e hormonal.

 

O fator genético indica que os pacientes têm alguém na família que tem melasma, um irmão ou mãe, por exemplo. 

 

O histórico de exposição à radiação ultravioleta indica que todo mundo que tem melasma já pegou muito sol. 

 

E além disso tem o fator hormonal, que é muito importante, tanto que 90% dos pacientes que têm melasma são mulheres, por causa do estrogênio, que favorece a hiperpigmentação. 

 

Geralmente esses pacientes percebem que surgiu uma mancha no rosto e não conseguem mais camuflar com maquiagem, com corretivo e isso começa a impactar muito em relação à sua segurança, à sua autoconfiança. 

 

Ele pensa que todo mundo está olhando somente para o melasma. 



Disciplina nos cuidados 

 

Essa é uma doença muito traiçoeira. Se você não tiver disciplina, não tiver consciência de como tratar o seu melasma todos os dias, ele piora. 

 

Quantos pacientes fazem tratamento, a gente consegue clarear, porque o melasma não tem cura, e aí ele descuida um pouquinho, vai para a praia e quando volta o melasma piorou. 

 

Muitas vezes essa piora é suficiente para fazer o paciente desistir do tratamento. 

 

Então ele volta 1 ano, 2 anos depois e a gente compra nas fotos como houve uma piora importante. 

 

Os tratamentos na clínica dependem muito do tipo de pele do paciente, da inflamação que está acontecendo e vários tratamentos, quando mal indicados, inclusive podem piorar o melasma. 



Cuidados diários em casa


Agora eu vou dar dicas do que que seria o básico para você fazer em casa. 

 

Como é uma doença crônica, causada principalmente pela exposição à radiação ultravioleta, o principal tratamento, o principal remédio é o uso do filtro solar. 

 

Agora, como escolher esse filtro também é fundamental. 

 

O ideal é que o filtro tenha um fator de proteção FPS no mínimo 50, que é um índice de proteção para radiação UVB, que causa o câncer de pele, a queimadura e as manchas. 

 

Outro fator extremamente importante é o índice de proteção à radiação UVA, que é o que a gente chama de PPD. 

 

Essa radiação é mais profunda e causa também hiperpigmentação e câncer de pele, mas principalmente a hiperpigmentação. 

 

Então use filtro com fator de proteção no mínimo 50 com PPD acima de 20. 

 

Além disso o ideal é que esse filtro solar tenha cor, porque esse pigmento confere uma proteção a mais, faz a proteção contra a luz visível, que é essa luz a que todos nós estamos dispostos no dia a dia. 

 

Mesmo um paciente que trabalha o dia inteiro em local fechado tem indicação de usar o filtro com cor. 

 

E o mais importante: reaplicação do filtro a cada 2 horas. Duas horas é difícil? Então pelo menos de 3 em 3 horas (9h da manhã, meio-dia e 3 horas da tarde).  

 

Além disso a quantidade é muito importante. O ideal é que seja uma colher de sopa.  

 

Não adianta colocar um pinguinho e espalhar no rosto todo, porque você não vai estar bem protegido. 

 

A escolha do filtro é importante, criar esse hábito de usar todo dia, se mesmo você trabalha em local fechado, mesmo se você não está saindo para a rua, mesmo não se expondo diretamente ao sol. 



Melasma e covid

 

Com o isolamento social por causa da covid é impressionante como os pacientes estão retornando com o melasma mais claro, porque as pessoas não estão se expondo mais ao ar livre. 

 

Isso é impressionante. A maioria dos pacientes com melasma voltaram para a clínica com o melasma muito melhor. 

 

Outros tratamentos que a gente pode adicionar são as cápsulas via oral, que hoje em dia fazem parte de todo protocolo de tratamento aqui da clínica. 

 

São antioxidantes que aumentam a proteção da pele contra o sol, que diminuem o eritema, a vermelhidão quando você se expõe ao sol e conferem uma proteção a mais. 

 

Teve uma paciente que eu indiquei todo o tratamento e ela não fez uso dos cremes, porque ela estava com a pele um pouco sensível e preferiu não usar. 

 

Eu tirei uma foto dela numa luz que a gente consegue ver exatamente o percentual de manchas e fiquei impressionada como o melasma dela clareou só com o uso dessas cápsulas antioxidantes. 

 

Então existe uma gama de tratamentos que a gente pode indicar com antioxidantes. 

 

O ideal é que você seja muito bem avaliada para saber exatamente em que momento começar esse tratamento. 

 

Com relação à escolha do tratamento dentro da clínica, isso depende muito do seu tipo de melasma, do seu tipo de pele. 

 

De qualquer maneira a gente não deve inflamar ou irritar demais essa pele, justamente para não ter o efeito rebote. 

 

Minha dica, então, é que se você tem melasma, tenha disciplina, tenha paciência. Se você não tiver disciplina, não criar o hábito de cuidar dessa doença, ela vai que piorar bastante. 

 

Use um filtro adequado para sua pele e faça os tratamentos indicados para o seu tipo de melasma. 

Compartilhar:

Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Fechar Menu